sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Bill Ward - When The Bough Breaks [1997]


Olá galera, eu sou o novo colaborador/motorista, deste blog. Meu nome é Gabriel Henrique e sou louco por música, então, vou compartilhar com vocês um pouco de boa música. Logo adianto, vou postar discos de Death Metal a Eletro-pop, espero que curtam... Sendo este meu primeiro post, vou logo de um clássico Cult. 'When The Bough Breaks', do eterno Baterista do Black Sabbath:

Bill Ward, o batera hippie..

Como já dizia um velho amigo meu: "Bill Ward? Ah, o batera hippie". Sim, ele pode ser assim considerado desde seus tempos de Black Sabbath, mais foi em sua carreira solo que o mestre das baquetas mostrou não ser apenas um dos músicos criadores do heavy metal.

Eu já era um profundo fã de Ward, como batera fundador do Sabbath, mas depois que descobri sua carreira solo, deslanchei de vez em ser seu fã número um. Sempre apreciei artistas que não se prendem a um só estilo, coisa que Bill faz com maestria, pois seus discos solo têm estilos variados, incluindo hardrock, progressivo, metal e folk, sendo o disco em questão, lançado em 97, o que mais mostra suas influências folk, blues e rock psicodélico.


Neste disco, Bill Ward é acompanhado por uma competente banda, sendo que ele fica a cargo somente dos vocais. A bateria é tocada por Ronnie Ciago. Coisa que achei desnecessária, pois ele podia muito bem ter segurado os dois. Mas enfim, é sempre bom ter experiências novas na música, acho que foi este o motivo de apenas cantar, e diga-se de passagem, que vocais ele tem.

Por este ser um disco de 97, fiquei surpreendido com sua sonoridade totalmente vintage. O play abre com densa e pesada 'Hate', com solos de sax e backing vocals femininos, o que dá destaque e suporte à voz sensacional que Ward tem.

O disco prossegue com a linda acústica, hippie até o talo 'Children Killing Children'. O que dizer destamúsica? Ela tem uma letra linda que fala sobre mortes de crianças que deveriam ser evitadas... A melodia se encaixa perfeitamente à voz de Bill, que é suave e harmônica. Vale lembrar que, para o ano em que este disco foi lançado, esta música parece ter saído de uma comunidade hippie da década de 70. Só por esta linda canção já vale ter este disco sem pensar duas vezes.


Não é só de baladas hippies que o disco vive, vale citar a cacetada que é 'When I Was a Child', com sua levada matadora arrastada das guitarras e as dobras de links de gaita e guitarra. A semi-acústica 'Please Help Mommy' começa com links de blues no violão, até cadenciar e ter a entrada da guitarra e novamente os backing vocals femininos, havendo no decorrer da música variações de acústico e elétrico.

Quer se sentir na selva em plena década de 70? Então ouça a vinheta percussiva de 'Love And Innocence', que serve de abertura da pesada/percussiva 'Animals'. Esta música é a mais psicodélica de todas, pois em meio aos ritmos há um riff de guitarra de surf music, uma combinação interessante e diferente de se ouvir.


O disco como um todo está acima da média. As músicas de destaque que não posso deixar de comentar são 'Nighthawks Stars & Pines', que tem um quê 'pink-floydiano', onde o saxofone retorna, fazendo uma cama de melodias para Bill, que canta com maestria e carisma, enquanto mais uma vez os backing vocals dão o ar que faltava para completar a música, e a longa 'When The Bough Breaks', que fecha o disco, outra semi-acústica de matar, com pianos e violinos dando um clima de final de tarde, backing vocals típicos de música gospel, e que traz aos quatro minutos de música um belo e limpo solo de guitarra, solo este que retorna ao final da música, porém plugado e entre backing vocals.

Bill Ward, mesmo sendo mais conhecido como o eterno baterista da formação clássica do Black Sabbath, demostrou através de sua carreira solo não ser apenas um baterista de metal e sim, um verdadeiro e completo músico, que além de ser um mestre da bateria ainda canta muito bem e é um compositor de mão cheia.

Bill Ward (Vocal)
Keith Lynch (Guitarra)
Paul Ill (Baixo)
Ronnie Ciago (Bateria)

01 - Hate
02 - Children Killing Children
03 - Growth
04 - When I was a Child
05 - Please Help Mommy (She’s a Junkie)
06 - Shine
07 - Step Lightly
08 - Love & Innocence
09 - Animals
10 - Nighthawks Stars & Pines
11 - Try Life
12 - When the Bough Breaks

Link Nos Comentários
Link On The Comments

Gabriel Henrique

2 comentários:

  1. http://www.mediafire.com/?lcqinel1ojd9wyr

    ResponderExcluir
  2. gostei muito da resenha..

    já tinha ouvido falar deste disco antes, mas nunca tinha baixado..

    depois de ler sua resenha fiquei muito tentado a ouvir..

    obrigado..

    ResponderExcluir